sábado, dezembro 14

Ó vou ali e já volto

Melhor que tirar férias, é tirar férias e ir onde você quer ir e não onde pra ir, e o melhor de tudo, praticamente de graça

quinta-feira, dezembro 12

NATAL
Feliz Natal
Próspero Ano-Novo
Achei a sua cara
Imagina, não precisava
Eu sempre desconfiei que você era o meu amigo-secreto
Se não servir pode trocar
Olha não tinha a cor que você pediu,mas essa tá super na moda
Gente olha só o que eu ganhei
Só isso, pai?
Disrcurso, discurso!
Nossa, mais um ano hein?
Pra quando é o neném?
Tou completamente bêbada
Que horas são? Já?
Ai gente, o chefe bem que podia ter me dado um presentinho melhor não?
Saúde pra dar e vender
Mãe o Papai-Noel não vai chegar?
Quem busca mais cerveja?
Como tá chovendo nesse verão!
Hoje é Natal, conversa com seu irmão, meu filho
Isso que é vinho!
O meu presente sumiu, alguém viu meu presente?
Que horas é a Missa do Galo
Esse ano vai ter o show do Roberto?
Vó, você não pode beber
As crianças esse ano estão passando com a mãe
Só te vejo uma vez por ano mesmo!
O que eu não aguento são essas musiquinhas
Esse peru é Sadia?
São Silvestre é dia 31, cabeção
Alguém tem uma caneta?
E o casório quando sai?
Você sempre teve tatuagem? E esse brinco na sombrancelha? Não dói?
Maaaaãe, acabou o gelo
Vai pra onde? Quer uma carona?
Dirige com cuidado meu filho, você sabe, tá todo mundo alterado por aí
Boa Noite
Feliz Natal
Próspero Ano-Novo!
Tem um Engov, aí?

quarta-feira, dezembro 11

A Fal escreveu porque a Laura pediu, a Laura roubou e eu roubei da Laura porque as dicas são os livros que a Bia vai ganhar e ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão

Laura! Minha mãe tratava os livros e a leitura como o maior dos privilégios. A gente praticamente só ganhava livros em casa, os brinquedos a gente ganhava de tia, madrinha, essas pessoas. Da mãe, só livro. Daí, que ler era privilégio...nota boa? Livro? Coisa certa? Livro. Ah, fez merda? Pois então eu tiro o livro que vc tá lendo de vc. Se comportou mal? Então eu não conto história antes de dormir, eu não leio em voz alta pra vc qd vc chegar da escola. Livro era presente de aniversário e Natal, o único (mesmo) tipo de consumo estimulado em minha casa, a única coisa que éramos encorajados a desejar, e o grande privilégio que tínhamos. E claro, como era um privilégio, não uma obrigação, um prêmio, não um castigo, a gente babava por eles. A gente tinha a noção exata que cada livro novo era um puta dum presente, que a gente tinha que merecer muito, muito mesmo, pra ganhar. A gente esperava por livros, pedia por eles, sonhava com eles, como outras crianças sonhavam com o Falcon, ou a Susie. E, exatamente, como brinquedos, a gente nunca achava que eles eram suficientes.
Inteligente a minha mãe, né?? Criou dois viciados em livros.
A Ana tava doida pq as meninas não queriam saber de ler, e eu disse pra ela que é claro que não....livro é muito fácil pra elas, elas têm dezenas e são obrigadas demais a ler. Elas nunca iam virar leitoras de verdade assim. Elas têm que entender, que livro é privilégio. Que uma família que pode gastar 20 paus num livro infantil tá no topo dos topos da pirâmide social e intelectual de qr parte do mundo. E que livro nunca é castigo. É um ato de amor. É uma coisa a ser alcançada, não a ser cumprida com suspiros e gemidos. Vc geme e suspira na hora de lavar a louça. na hora de ler vc fala "eba!".


A Fal sabe das coisas. E ainda indicou:


posso sugerir??? tem um chamado o livro dos medos, que é a coisa mais fofa do mundo....e tem um, minha amada que é lindo, acho que o mais belo livro de criança que eu já li....comprei há um ano mais ou menos um ano e ainda choro qd leio (sim, eu compro livros infantis para mim)....chama "como os dinossauros dizem boa noite".... lu, eu juro que é maravilhoso. juro. os desenhos são um mimo e o livro é incrível.


E depois completou:


e outra coisa: bota dedicatória....quando ela tiver 31, vai viver a emoção única de abrir um livro capenga e ler algo assim:
"Para a minha amada Biuccina, esse "Mulherzinhas", que carrega um pouco da doçura que, espero, ela terá em sua vida.
mamãe, dezembro de 1976"


Eu também amo a Fal


terça-feira, dezembro 10

A vida é feita de três ou quatro momentos que mudam completamente a sua história

Das coisas que eu já fiz na vida, uma das mais legais foi decolar um avião. Não decolar num avião, mas sim, decolar um avião. Foi um King Air, desses que fazem malotes pros correios. O piloto, lançador de paraquedistas, me chamou e perguntou se eu queria e lógico que eu disse sim. Mas lá dentro do avião, ainda no chão, à medida que ele ia me dando as coordenadas, o meu medo ia se transformando em pavor. Pensava: E se eu apertar um botão e o avião explodir, cair, quebrar a asa, e se eu não tiver força pra segurar o manche e falhar bem no meio da manobra, e se eu sair correndo daqui agora? Tinha umas 10 pessoas à bordo, sem ter noção do perigo extra que estavam correndo, sim extra, pois eram todos paraquedistas que em minutos iriam deixar o avião em pleno vôo, isto é, se a decolagem corresse bem. Sentei na cadeira do piloto e segui todas as instruções, liguei os controles, avisei no rádio as minhas coordenadas, puxei o manche lentamente (sei lá como se escreve) e o bicho saiu do chão, a galera aplaudiu e assoviou e eu suspirei. Não sei descrever o que senti, mas um dos sentimentos era o poder, poder absoluto que corrompe absolutamente e passei a entender melhor as coisas da vida. O piloto faleceu no ano seguinte, quando, esse mesmo avião explodiu alguns segundos depois de decolar. Um grande amigo que me proporcionou uma oportunidade única e que me faz muita falta.

Pérolas da Hotelaria
Um menino de uns 7 anos pergunta:
- Quanto sai pra ligar pra minha mãe em Rio Preto?
- Uns R$ 0,20 por minuto
- Se eu ficar uns 8 minutos, quanto é?
- R$ 1,60

Ele se afasta e volta depois de 10 minutos
- E se minha mãe não estiver lá?

*******************************
- Vocês estão me cobrando uma diária a mais
- Deixa eu verificar senhor. Não, está certo senhor. O senhor chegou dia 13 e está saindo dia 17, estamos cobrando quatro diárias
- Mas voces estão cobrando a diária do dia que eu cheguei?
- Sim senhor
- Mas deveria cobrar só o dia seguinte quando completa uma diária
- Ok, então eu dou o desconto dia 13 e cobro o dia 17, pois no extrato está só até o dia 16
- Não, pois não vou dormir aqui hoje
- Então se for cobrar por noite está certo, pois o senhor dormiu dia 13/14/15/16, ou seja quatro noites

O hóspede fica olhando pro extrato uns minutos e conclui:
- Olha eu vou pagar mas não concordo com essa filosofia de vocês
- Senhor, não é questão de filosofia, é matemática
- Você está me dizendo que não sei fazer conta?
- Perdão senhor mas matemática não é só conta, é lógica também

A filha interfere
- Pai pelo amor de Deus, paga logo e vamos embora que eu já passei vergonha demais