terça-feira, abril 15

Mas aquilo? Aquilo acaba sim. Acaba numa noite de chuva e frio que você, subitamente, descobre que sim seria bom estar com ele, mas que você pode sobreviver sem ele à intempérie. Aquilo acaba, quando você vai ao cinema, ou à festa da Flávia e do Moa sozinha, e não morre.
Acaba como acaba o frio na barriga. Aquilo acaba, impreterivelmente, na saúde e na doença. Na riqueza e na pobreza. Acaba quando a irmã dele fala mal de você, e ele não move um músculo para defendê-la.
Aquilo, que não é amor, mas não chega a ser paixão, aquilo que faz com que você sonhe acordada e rabisque o nome dele no canhoto dos seus cheques, acaba junto com a burocracia, as reuniões de condomínio. Aquilo acaba com a chegada do cara da manutenção do computador. Acaba com os telefonemas que ele atende falando baixo e longe de você. Aquilo, meu bem, acaba.
A vida, ela mesma, acaba."


Da Fal para a Angelinha. como não ser melhor, não ficar melhor com uma mulher dessa na nossa vida?


segunda-feira, abril 14

- Mamãe você não vai trabalhar?
- Não
- Vai ficar com a Bia e com o ursinho e com o sapo e o coelhinho?
- Vou
- Obaaaaaaaaaaaa!

No começo eu me apaixonei por você, e tinha pra mim que essa paixão era só eu que sentia, saíamos sem compromisso e eu era feliz assim. Os anos se passaram, nossas vidas foram mudando (a minha mais do que a sua), e a minha paixão virou uma grande amizade. Ficamos um tempo sem se ver, nos reencontramos, mais velhos, mais maduros, e na clareza que os anos nos traz, você me fala da grande paixão que sentiu por mim no começo e de como esse sentimento virou uma grande amizade e eu ali, ouvindo tudo, surpresa e pensando - que loucura essa vida que a gente leva!